Existe uma anedota sobre fugir com o circo, porém, neste caso, quem fugiu foi o palhaço. E por que fugimos? Medo, insegurança, sonhar com algo diferente, querer nos manter sonhando.

A fuga também pode ser uma busca. Romper com o ciclo e encontrar outras respostas. Esse é o disparador da trama no caloroso e potente filme A Filha do Palhaço.

Corpos em Cena

A filha do título é Joana (Lis Sutter), uma adolescente que vai passar uma semana com seu pai, Renato (Demick Lopes), um artista que interpreta uma personagem chamada Silvanelly em um show de humor.

Esse tempo juntos é a oportunidade para se conhecerem melhor, ao mesmo tempo que surgem perguntas guardadas na gaveta.

Parte do que molda o projeto e está na superfície é o dilema do ator da comédia, que sobe num palco e fazer os outros rirem, enquanto passa por diversos conflitos internos.

Leia também:  Entre Luto e Buscas: Discussão da depressão é tema do premiado filme A Metade de Nós

No caso de Renato, pesa a divida sentimental em relação à paternidade, e como revelar sua sexualidade para a filha adolescente.

Sentimentos Gravados

Porém o filme não toma caminhos fáceis. A história não deita para tons de drama pesado, assim como a ideia não é explorar um intenso conflito entre as partes até um desfecho doce.

A Filha do Palhaço Demick Lopes desmontado Lis Sutter A Geleia

Na verdade, o que dá sabor em A Filha do Palhaço é seu naturalismo. Dos ângulos abertos e claros à cenografia que capta uma Fortaleza do real (entre praias, ruas e botecos), parece que o desejo de Pedro Diogenes (Pajeú e Inferninho) é nos contar uma história sem tanta maquiagem na sua direção.

Leia também:  Máfia Italiana e pitadas de humor dão sabor de Estômago 2 - O Poderoso Chef

Mas estas escolhas transbordam mesmo são nos protagonistas. Por vezes o filme puxa nosso tapete quando aquilo que poderia ser gancho para rupturas, se torna na verdade uma busca pela compreensão do outro.

Afinal, na gramática ser sensível é alguém que pratica a empatia, mas também é um estado de vulnerabilidade. Dando palco as delicadas atuações de seus protagonistas, A Filha do Palhaço brilha ao comentar o quando pessoas carinhosas e atentas também erram, sabem que erram e vice-versa.

Leia também:  Meu Sangue Ferve Por Você: Um Filme Sem Medo de Ser | Crítica

E o que fazer com as faltas deixadas no caminho?

Lá perto do fim, quando o filme tem um leve twist em seu plot, o desejo é de voltar e assistir tudo de novo. E na vida real, isso é possível?

A Filha do Palhaço

Distribuição, Embaúba Filmes
Ano de lançamento: 2024
Duração: 104 minutos

Elenco principal: Lis Sutter, Demick Lopes, Jesuíta Barbosa, Jupyra Carvalho, Ana Luiza Rios, Valéria Vitoriano, Patrícia Dawson, Luiza Nobel, David Santos, Rafael Martins, Mateus Honori, Vic Servente, Jenniffer Joingley, Pipa, Patricia Nassi
Classificação Indicativa: 16 anos

Categorized in: