Você já imaginou como seria deixar tudo para trás e embarcar em uma aventura perigosa e incerta em busca de um futuro melhor? Essa é a realidade de milhares de jovens africanos que arriscam suas vidas para chegar à Europa, enfrentando desertos, mares e violências de todo tipo.

Essa é também a história da fábula EU CAPITÃO (Io capitano), um filme emocionante e impactante que retrata a jornada épica de dois amigos senegaleses, Seydou (Seydou Sarr) e Moussa (Moustapha Fall), que sonham em escapar da pobreza.

Um olhar sensível

O filme é dirigido por Matteo Garrone, nome hypado do cinema italiano contemporâneo, que já nos presenteou com obras de impacto como Gomorra (2008) e Pinóquio (2019).

Garrone se inspirou em relatos reais de imigrantes que conheceu em um centro de acolhimento na Itália, e que colaboraram na elaboração do roteiro.

Leia também:  Planeta dos Macacos: Da Origem ao Reinado, resumo e ordem de todos os filmes da nova cronologia

Assim somo convidados a tatear o mundo pelos olhos dos protagonistas, que são interpretados por atores não profissionais, mas que viveram experiências semelhantes às dos personagens.

EU-CAPITAO-Io-capitano-duna-azul-A-Geleia

E ainda dentro da nosso desejo retratista, é verdade que somos comprimidos pelo denso vigor das paisagens de areia e outros tons chapados, e mais para frente, pela imensidão do escuro mar, que pela grande angular nos lembra o quanto somos pequenos.

Ao mesmo tempo, é possível notar o quanto essa população deseja ser permeada por cor, em suas roupas, acessórios e sonhos.

Entre sonho e realidade

Uma das principais potências de EU CAPITÃO é como a narrativa consegue fazer um balanço entre o olhar de encantamento e de esperança dos protagonistas e a passagem para um mundo denso, duro e naturalista.

Ainda no começo, é possível sentir até ecos de comédia, nas fantasias dos dois amigos, que se divertem com suas bicicletas e seus planos de viagem para uma aventura.

EU, CAPITÃO (Io capitano) Camisa Bacelona A Geleia

Aventura essa com destino a uma Europa que coloniza o imaginário. O lugar dos bons empregos e do sucesso, que chega a eles através das telas dos celulares, e pelas camisas de clubes de futebol milionários que permeiam a cenografia de toda a África em EU, CAPITÃO.

Leia também:  Bella Chiang solta voz e apresenta o trailer dublado do filme A Menina e o Dragão

A transição vem com clima de road movie com encontros divertidos, mas que desbota a cada metro caminhado para longe de casa.

O Mundo dos Adultos

E nessa transição de energia, EU, CAPITÃO não poupa o espectador de cenas fortes e chocantes, que revelam a crueldade e a indiferença com que os imigrantes são tratados.

Contudo, ao mesmo tempo, é muito delicado como Seydou nunca se deixa contaminar pelo pesadelo. Assim, por mais densas e sufocantes que sejam algumas passagens, compreendemos seu desejo de não voltar atrás.

EU, CAPITÃO (Io capitano) travessia do derto A Geleia

E lá pelas tantas, depois de segurar as lágrimas, você lembra que o protagonista ainda é um menino, de uma periferia do mundo, com apenas 16 anos. E neste ponto, até exista algum paralelo com a jornada do persistente Pinóquio.

Leia também:  Ghostbusters: Tudo para assistir o novo Caça-Fantasmas, Apocalipse de Gelo

Toda vez que Seydou sorri, de forma tão genuína e ainda esperançosa, dá vontade de sorrir com ele. Talvez porque mais potente do que “o retrato da realidade”, é a capacidade de sonhar.

EU CAPITÃO está concorrendo ao Oscar 2024 de Melhor Filme Internacional, e que já ganhou vários prêmios no Festival de Veneza.

Io capitano

Lançamento brasileiro, Pandora Filmes
Ano: 2023 (24)
Duração: 121 minutos
Classificação Indicativa: 14 anos

Assista ao trailer completo e dublado:

Categorized in: